Thursday, August 02, 2012

de saudades...

Sinto saudades de escrever aqui.
Ou saudades do tempo em que escrevia aqui e das razões porque o Blogui nasceu. Tudo passa demasiado depressa e por vezes esquecemo-nos de saborear as coisas porque na realidade o tempo passa demasiado depressa e o sabor das coisas não  chega a tocar todo o palato.
a menina hoje tem 10 anos. eu 42 ainda frescos frescos. tao frescos que não me recordo ainda que os tenho, logo agora que estava quase habituada a dizer 41. para alem do cliche de se dizer isto, a idade efectivamente não significa nada.
Sinto saudades de escrever aqui e penso que terei de cá voltar.

Tuesday, April 08, 2008

só para vos dizer que...





quando não estou por aqui, estou aqui. Façam favor de me visitar.
-

Tuesday, March 25, 2008

PARABÉNS, BÉBÉ!

Já são 6!


6!

Há um ano atrás houve um bolo em azul que fazia de fundo do mar e nos pintou as línguas, os guardanapos, as toalhas da casa de banho e os cortinados.

Vieram as meninas da Dona Amélia, e a Diva, e dançou-se e comeu-se em pratos e copos de boneca em frente à ventoinha.

À noite tivemos o Xico da Cabra, o Abade e a "rita oh bonita hira". Agora, a Rita está no Nepal a sentir-se demasiado mulher, o Abade é quase mesmo mesmo do clero, e o Xico da Cabra desapareceu em combate.



Há dois anos atrás estávamos a acabar de rechegar a Timor, e a Therese fez um bolo borboleta à luz de vela que foi um sucesso no colégio das Ursulinas.

Era em rosa!

Claro...



Há 3 anos já não te lembras de nada. Mas fizeste, como ontem uma caça aos ovos com meninas e meninos da tua idade. Bebeste água da torneira e o aquecimento esteve ligeiramente ligado. Vestiste-te de rosa e pintáste os olhos e outras meninas vestiram-se de rosa e chegaram também de olhos pintados. Tinham coroas das Winx que são meninas feiticeiras independentes e fortes com cabelos de tons variados, e que juntas vencem tudo!

E senti-te muito muito feliz.

E faz-me pensar se tenho o direito de te arrastar para um mundo enorme onde eu me sinto tão feliz, quando a tua felicidade é tão ruidosa e rosa neste outro tão mais pequeno onde me sinto a sufocar a cada dia que passa...



Sinto falta da minha morena pequenina que eu transportava ao colo segurando-a com um só braço.

Fascino-me todos os dias com esta morena desdentada que tem opinião sobre tudo, que passa o inverno de ranho permanente, que se besunta em baton antes de sair de casa, que escolhe sonhos antes de dormir, que sonha com sapatos altos preferencialmente em pástico e que tem como desejo maior um dia ter uma franja.



Parabéns, minha querida.


6!

Wednesday, January 02, 2008

UMA PAUSA POR UNS TEMPOS.

"A água chia no púcaro que elevo à boca
«É um som fresco» diz-me quem não está a bebê-la.
Sorrio. O som é só de chiar.
Bebo a água sem ouvir nada com a minha garganta."
Caeiro
Até breve.

Monday, December 31, 2007

..e

2007 foi um ano de que não vou ter saudades.


não me recordo de nada que quisesse reviver - perdi tragicamente uma amiga, saúde, rebolei dentro de um automóvel com a minha filha, assaltos, decisões, partidas, regressos e regrets.

nenhuma das decisões tomadas tenho a certeza de ter sido a mais certa. precisei de alterar um percurso sem ter tipo tempo de lhe procurar uma direcção. cometi erros antigos que sei que voltarei a repetir.
2007 foi uma cáca tão grande que me faz agarrar apenas a duas certezas:


  • que tudo muda mesmo a surda muda;


  • que tudo passa mesmo a uva passa.

Wednesday, December 26, 2007

Super Timor

POIS...

este post sou eu a mandar-vos beijos.
beijos de Natal.

e a desejar-vos as coisas que se desejam a toda a gente nesta época.

mas as minhas são assim mesmo do coração.
beijos e coisas do coração.


ás vezes penso que por tanto as querer sentir, elas acabam por passar sem que eu as consiga viver.

assim como o Natal.

mas deixo-vos os beijos e as coisas do coração.

e aquilo da Paz na Terra aos Homens de boa-vontade,

porque nem o Natal é todos os dias, nem o azevinho, por aqui, vermelha em Dezembro...

Wednesday, December 19, 2007

HÁ...


botijas novas no great craft disaster.

NATAL NA ESCOLA

Festa de Natal na escola.
A audiência constituida por pais entusiastas e participativos e os mais preguiçosos e cínicos.
Os primeiros, vestem-se com roupinhas de carnaval e fazem palhaçadas e teatrinhos ao som do bolero de ravel e bonecas menina do outro lado do oceano muito à anos 80, felizmente nenhum cantou só houve playback. Um misto entre a necessidade de se evidenciarem e o genuino desejo de enriquecer a festa e entreter os meninos.
Os cínicos e preguiçosos - nos quais me enquadro - ficam sentados a morrer de frio e a evocar o nome de Deus em vão, assim em silêncio. Peçam-me para varrer o palco, para limpar as sanitas com uma escova de dentes, para pagar o lanche a todos os meninos, para lhes coser as roupas, para fazer bolos, para para para.... mas não me ponham à frente de publico nenhum.
No palco vão desfilando os meninos e volta o playback. As crianças fazem gestos. As auxiliares passeiam-se no palco a fingir que não há ninguém a olhar para elas e vão colocando os meninos nos sítios onde deveriam estar. Uma mãe traz os filhos e ensina a dizer feliz natal em holandês. Achei giro! As crianças ficam sempre com um ar inteligentissimo a falar estrangeiro. A sério. Tenho imenso respeito por qualquer criança que fale holandês. Aquilo é um verdadeiro exercício vocal!
Depois chegou a sala 5.
A sala 5 estava chiquérrima toda vestida de jeans e vermelho.
A sala 5 cantou sem música e incluiu velas na sua apresentação sem que os meninos corressem qualquer perigo.
A sala 5 fez um segundo número com os meninos a marcharem muito divertidos e concentrados. Havia uma miuda da sala 5 que marchava muito melhor que os outros e cantava muito afinada.
A sala 5 era a sala da minha filha!