Thursday, March 22, 2007

SHERAZADE

Uma noite já tarde, eu exausta, ela desperta, pede-me que lhe conte uma história. Estou muito cansada, não consigo ler, digo-lhe eu. Uma da tua cabeça, insiste ela.
E tentando despachar o assunto, invento a história de uma história que vivia na minha cabeça mas que não queria sair. Ela escondia-se e escondia-se porque não queria cair na minha boca e transformar-se em palavras e entrar nos ouvidos dos meninos. A história queria viver sossegada na minha cabeça.
E nas noites seguintes dos dias seguintes dos meses seguintes mesmo depois das histórias lidas, chega sempre o pedido: e agora a da história que vive na tua cabeça. E em todas as noites dos dias seguintes dos meses seguintes a história, teimosa, inventou mil pretextos para não sair da minha cabeça. E essa tornou-se a história da história.
Hoje umas mãozitas agarraram os meus cabelos, encostaram-se uns lábios e ouviu-se: Olá história, ainda aí estás? Tens que vir cá para fora. Estão 3 girassóis no jardim, há um gato que não tem medo de nós e vem cá a casa comer, o carro da mamã não anda, almocei comida de dieta. Tens que vir cá para fora. Ainda aí estás, História? Então adeus, boa noite, porta-te bem, com licença, até amanhã, beijinhos, adeus.
E só faltou dizer, desta que se assina....

3 Comments:

Anonymous Céu said...

Que bom saber de vocês! Os girassóis estão lindos!! (Ah, que saudades do Verão!...) E olha, não deixes sair a história... quando sair morre: esse tipo de histórias só sobrevive em ambiente protegido! (Saudações à tua cabeça-estufa)
Mil beijos fresquinhos que aqui, hoje, estão menos de 10 graus iluminados de sol.

3/22/2007 11:59 am  
Anonymous Suzanne said...

Que bom que é também, ter notícias tuas outra vez, Alexandra!!! E ouvir as tuas histórias... de histórias... e de histórias!!! Já tinha saudades das vossas histórias!

3/22/2007 1:19 pm  
Blogger Eva Lima said...

O susto passou-se para o lado de lá do jardim dos três girassóis.

Temos poesia, de novo

3/22/2007 10:16 pm  

Post a Comment

<< Home