Thursday, February 22, 2007

DE CAEIRO



"Se eu pudesse trincar a terra toda E sentir-lhe um paladar, Seria mais feliz um momento ... Mas eu nem sempre quero ser feliz. É preciso ser de vez em quando infeliz Para se poder ser natural...
Nem tudo é dias de sol, E a chuva, quando falta muito, pede-se. Por isso tomo a infelicidade com a felicidade Naturalmente, como quem não estranha Que haja montanhas e planícies E que haja rochedos e erva ...
O que é preciso é ser-se natural e calmo Na felicidade ou na infelicidade, Sentir como quem olha, Pensar como quem anda, E quando se vai morrer, lembrar-se de que o dia morre, E que o poente é belo e é bela a noite que fica... Assim é e assim seja ..."

2 Comments:

Blogger Brikebrok said...

Isso mesmo, grande Pessoa !

2/22/2007 5:00 pm  
Blogger Rita. said...

Já o Platão dizia isto por outras palavras... não se pode dar valor ao dia se não conhecermos a noite, não se pode dar valor ao doce se não conhecermos o amargo e vice-versa, etc etc.
Não há arco-íris sem chuva... para tudo na vida. Parece q as coisas boas têm sempre que ser precedidas por coisas menos boas, mas talvez se assim não fosse não lhes dessemos valor. Acho que isto tudo faz parte de ser humano, não é natural estar sempre radiante de felicidade... só que às vezes custa, outras vezes custa ainda mais, mas talvez tudo isto faça parte do nosso crescimento como seres humanos e vai custar até partirmos, se calhar porque nunca paramos de crescer (e não não estou a falar de crescer para os lados a partir de uma certa idade) Bem, acho que este comentário já está demasiado grande e já não sei muito bem o que digo.
Mas sim, tudo o que está escrito é verdade e o Pessoa diz por melhores palavras que o Platão, mais bonitas de certeza.

12/10/2007 2:14 am  

Post a Comment

<< Home